MENU TOPO
Voltar
Toscana - Brunello de Montalcino DOCG
Localização

Brunello de Montalcino é denominação da região da Toscana.

Mapa oficial da DOC Brunello di Montalcino (imagem Consorzio Brunello)

Mapa oficial da DOC Brunello di Montalcino (imagem Consorzio Brunello)

Vinhos da Denominação do Brunello de Montalcino DOCG

O Brunello di Montalcino é um vinho límpido e brilhante, com vívida cor vermelho-granada, aromas intensos e fragrantes, persistentes, amplos e etéreos.

Os aromas típicos são de terra de bosque, madeira, frutas vermelhas, geléia e leve baunilha.

Com corpo elegante e harmonioso, é um vinho ao mesmo tempo vigoroso e raçudo, seco e persistente.

Tipicamente o Brunello é amadurecido em grandes tonéis de madeira, ou em tonéis usados de 500 litros, então não é um vinho onde a presença da madeira seja importante, mas percebe-se em alguns produtores uma certa tendência a reforçar a presença de madeira, para arredondar mais o vinho e criar um estilo mais `internacional´ que agrada aos mercados americano e asiático, principalmente.

Quando jovem, os taninos são relativamente ásperos, amaciando com o tempo.

Devido às suas características e ao seu terroir, o Brunello pode envelhecer longamente, melhorando com o tempo. Não é fácil determinar a curva ascendente de tempo, pois isso depende muito das condições de cada safra.

A expectativa básica fica entre 10 e 30 anos, podendo ser mais que isso, desde que bem armazenado em temperatura correta e principalmente constante.

É portanto muito importante observar a safra de um Brunello, consultando a lista histórica de safras, onde o Consórzio as avalia com até 5 estrelas.

Por essas características, não se recomenda beber um Brunello antes de 5 a 7 anos de idade, pois estará em um estágio inicial de sua complexidade e evolução.

Pelo estilo gustativo semirrustico, o Brunello acompanha porincipalmente pratos elaborados de carnes vermelhas ou caças de pelo e penas, acompanhados de cogumelos ou trufas, ou também pratos internacionais de carnes com molhos. Com mais evolução, ficará ótimo com queijos maturados e estruturados como Pecorino ou Parmesão.

A temperatura ideal de serviço fica entre 18 e 20 ºC. Garrafas com mais de 7 anos devem ser decantadas por no mínimo 2 horas antes de servir.

Botte Grande - Os típicos tonéis de maturação do Brunello di Montalcino (foto Carlos Arruda)

Botte Grande - Os típicos tonéis de maturação do Brunello di Montalcino (foto Carlos Arruda)

Principais Variedades de Uvas Tintas

Sangiovese Grosso, aqui chamada de Brunello

Geografia e Clima

A zona de produção do Brunello tem clima tipicamente mediterrâneo, com chuvas concentradas na primavera e outono. As áreas da vinhedos se localizam no meio das colinas, onde não acontecem névoas nem chuvas de granizo. A presença freqüente de vento garante boas condições sanitárias para as plantas. Esse clima com maioria de dias amenos assegura uma maturação gradual e completa das uvas.

A principal característica do terroir do Brunello são as diferentes vertentes em torno da cidade, com orientação e altitudes variadas, o que cria uma grande diversidade de microclimas, apesar da proximidade.

As principais diferenças acontecem devido à orientação das colinas, responsável pela insolação, e à altitude.

Norte

No lado Norte as estações são mais nítidas, com clima continental e temperaturas mais baixas no inverno. Os terrenos são ligeiramente férteis, mais ricos que os demais, com solo fresco e solto.

O lado norte tem altitudes maiores, por isso as médias de temperatura são mais baixas e a maturação um pouco mais lenta e profunda, mas nas safras mais frescas os vinhos ficam com menor nível alcóolico e menor corpo.

O Brunello do Norte é mais aromático e intenso na cor.

Oeste

No lado Oeste as brisas marinhas trazidas pelo vento maestrale derretem a névoa salobra sobre as uvas. A terra aqui é mais grosseira, desintegrada, arejada e pedregosa, aparecendo também argila.

Com essa rica variação mineral, o Brunello do Oeste é sempre rico e saboroso.

Sul

No lado Sul as terras são agrupadas em um ambiente ideal, protegido dos ventos dominantes. A temperatura média é mais alta, devido à maior insolação, o que acelera as atividades vegetativas das vinhas. Aqui as chuvas são mais raras e o solo mais permeável, rico em estrutura e calcário, seco e pouco fértil, difícil de trabalhar. Esse conjunto realça a rusticidade das plantas, mas nas safras mais quentes podem ocorrer temperaturas bastante elevadas.

O Brunello do Sul se distingue pela maior componente alcoólica.

Leste

No lado Leste, os terraços voltados para o Monte Amiata (1.740m) alcançam as maiores elevações da zona de produção, com ventos dominantes que contribuem para a sanidade dos vinhedos. Os solos são variados, com vastas áreas de creta, mesclas de areia e formações de calanchi (erosões de barrancos calcários).

O Brunello do Leste é franco, com características mais profundas.

A cidade de Montalcino, os vinhedos no entorno e o Monte Altimo ao fundo

A cidade de Montalcino, os vinhedos no entorno e o Monte Altimo ao fundo

Região do Brunello de Montalcino
Topografia:Colinas vertentes em torno da cidade de Montalcino
Clima:Mediterrâneo
Chuvas:700 mm/ano concentradas entre primavera e outono
Regras de Produção do Brunello di Montalcino
Classificação de Qualidade das safras de Brunello (fonte Consorzio Brunello)

Classificação de Qualidade das safras de Brunello (fonte Consorzio Brunello)

O Brunello di Montalcino foi o primeiro vinho italiano classificado como DOCG (Denominação de Origem Comprovada e Garantida), em 1980. As regras de produção vigentes foram estabelecidas em 1998.

- Área de Produção: Cidade de Montalcino

- Variedade: Sangiovese (também chamada localmente de Brunello) um clone particular local

- Densidade mínima de 4.000 plantas por hectare

- Rendimento máximo de produção: 80 quintais ( 8.000 quilos) por hectare

- Produtividade máxima: 54.400 litros por hectare

- Se houver produção acima desse limite, o vinho restante se classifica como Rosso di Montalcino

- Se houver indicação do nome do vinhedo a produção máxima é de 7.000 quilos/ha

- Produtividade máxima 2,7 litros de vinho por planta

- Maturação mínima 2 anos em barrica - Em garrafas 4 meses, no Riserva 6 meses

- Gradação alcoólica mínima 12,5 %

- Acidez total mínima 5 g/l

- Extrato seco mínimo 26 g/l

- Engarrafamento dentro da área de produção autorizada

- Engarrafamento obrigatório em garrafas de formato bordalês com vidro escuro

- Fechamento obrigatório com rolhas de cortiça natural de peça única, vedado qualquer outro tipo.

- Prazo para comercialização: 5 anos após a safra, 6 anos para o Riserva

História
A fortaleza de Montalcino, no topo da cidade (foto www.brunello-montalcino.com)

A fortaleza de Montalcino, no topo da cidade (foto www.brunello-montalcino.com)

Brunello di Montalcino é considerado um dos vinhos italianos mais qualificado hoje e goza de um crescente prestígio internacional, mantendo no mais alto nível a tradição de grande vinho de qualidade Toscano, cujas origens se perdem no tempo.

1850

Vinho tinto de grande classe de origens nobres, o Brunello di Montalcino apareceu oficialmente em meados do século XIX, quando Clemente Santi, químico e farmacêutico, opera uma seleção da uva Sangiovese Grosso, mais adequada para produzir vinhos de alta qualidade.

1870

Já em 1870 em uma exposição em Siena apresenta as primeiras garrafas de safras Brunello de 1863 e 1865. A partir deste momento há uma série de experimentos que procuram um vinho superior para o envelhecimento.

1888

As safras de 1888 e 1891 decretam o sucesso deste vinho, que pela produção limitada até o início dos anos 1900 é conhecido apenas por um estreito círculo de conhecedores.

1920

Nos anos vinte e trinta, ainda eram poucas vinícolas que produziam regularmente este vinho.

1945

Após a guerra, com o abandono progressivo do campo, o Brunello volta a ser um vinho raro, difícil de encontrar e, portanto, caro.

1960

Na década de sessenta com as contribuições da CEE e o relançamento da agricultura, além da adoção da Lei do DOC, as videiras são novamente plantadas na área de Montalcino.

1966

Com a concessão da Denominação de Origem Controlada e o estabelecimento de um consórcio de conservação, a produção de Brunello dá um passo notável, com a conversão de vinhas e a modernização das adegas. Brunello começa a ser valorizado e comercializado, e dentro de alguns anos novas empresas são adicionadas às que já operam no mercado.

1980

Em 1980, Brunello foi reconhecido pela primeira vez na Itália pela DOCG, um prêmio de prestígio que marca um novo avanço de renome nacional e internacional.

Hoje

A área de produção deste vinho inclui toda a área municipal de Montalcino (cerca de 24 mil hectares), cercada pelos rios Ombrone, Aso e Orcia. As características geológicas do território são refletidas nos vinhos dependendo da situação da área de produção.

O melhor vinho do mundo

Em 2006, o Brunello di Montalcino Casanova di Neri Tenuta Nuova 2001 foi considerado o melhor vinho do mundo pela WineSpectator. O prestigiado prêmio traz o Brunello di Montalcino aos mais altos votos de popularidade no mundo da enologia.

Mais informações no site:

Internet www.consorziobrunellodimontalcino.it
Italiano Italiano Inglês Inglês

© 1997-2018 Academia do Vinho
Aprecie o vinho com moderação
Nenhuma reprodução, publicação ou impressão de textos ou imagens deste site está autorizada