Academia do Vinho

Academia do Vinho - 20 anos - O mais importante site sobre vinhos no Brasil

O álcool não faz as pessoas fazerem melhores as coisas; ele faz com que elas fiquem menos envergonhadas de fazê-las mal - OSLER, William (1849-1919)

Voltar

Os segundos contam... e muito !
05-outubro-09  Opinião

Os segundos vinhos das vinícolas que produzem vinhos Top (vinhos de alto nível, de produção reduzida) são sempre ótimas opções de custo-benefício.

CARLOS ARRUDA

Arquiteto, web designer, enófilo, professor, consultor e autor de artigos sobre vinhos, criador e diretor do site Academia do Vinho.

Facebook

Os segundos

Já há algum tempo queria escrever sobre os segundos, os vinhos produzidos por vinícolas autoras de rótulos famosos, num espécie de segundo lugar no pódium - honroso, logo abaixo do líder.

Classifico como segundo vinho os rótulos produzidos com parte das uvas destinadas a um Top, um grande nome, um ícone da vinícola. O leitor perguntaria, mas porque ela não usa a totalidade de uvas no seu Top ?

Simples: um Top sempre necessita e recebe uvas de qualidade superior, com maturação perfeita, teor de açúcar no ponto exato... Um vinhedo nunca tem produção 100% homogênea, daí a necessidade de selecioná-las, havendo um descarte de uvas de qualidade alta, mas considerada insuficiente para o rótulo mais nobre.

Algumas vinícolas usam outro critério: qualificam a safra como um todo, podendo ou não produzir seu Top, conforme sua avaliação. Nos anos não, toda a colheita das super uvas vai para o ... segundo vinho, para alegria dos enófilos em busca de boas opções.

Qualidade x Preço

A grande informação é que os segundos apresentam um nível de qualidade de até 70% dos seus superiores, custando 30% ou menos de seu valor - ótima compra!

Algumas vinícolas que podemos citar:

Casa Lapostolle - Chile - Seu legendário Clos Apalta (R$ 312) só sai nos anos excepcionais, O segundo vinho é o Cuvée Alexandre Merlot (R$ 82), produzido com o descarte ou a totalidade das uvas (nesse caso, a Merlot, pois o Clos Apalta é um corte). Em 1998 o segundinho esbanjou qualidade e fez a festa dos enófilos.

O Quinta do Vale Meão - Portugal - custa R$ 360 e seu excelente segundo, o Meandro - apenas R$ 100.

O Caro - Argentina - custa R$ 121 e o Amancaya, ótimo irmão menor, R$ 53.

Em Bordeaux, temos o Château La Lagune por R$ 369 e o Moulin La Lagune por R$ 119. O Château Lafite-Rotschild, ícone mundial, não sai por menos de R$ 1850 mas o Carruades de Lafitte pode ser comprado por aceitáveis R$ 546.

A Itália tem ícones em profusão. O Sassicaia (R$ 850), de Bolgheri, tem o segundo Guidalberto (R$ 278). O Guado al Tasso (R$ 448) encima o Il Bucciato (R$ 118). O disputado Tenuta di Trinoro (R$ 997) tem no La Coupole (R$ 165) uma agradável opção.

O afamado australiano Grange Shiraz, da Penfolds, que já foi eleito o melhor vinho do mundo, custa R$ 1848, mas seu caçula, o RWT Shiraz (também conhecido como Granginho) sai por apenas R$ 369.

Como vemos, os segundos oferecem ótima opção para o seu orçamento, não deixando de oferecer boa parte da qualidade - e da personalidade - de seus irmãos mais nobres.

Curiosidades

Alguns ícones de Portugal merecem destaque, como o Pêra Manca da Adega da Cartuxa, no Alentejo, que dá lugar ao Cartuxa Reserva nas safras consideradas de qualidade insuficiente.

Esse vinho tem um caso curioso: em 1996, os enólogos e experts da vinícola (provam-se as uvas diariamente na época da maturação) consideraram a safra quaaaase boa, mas optaram por não produzir o Pêra Manca para não correr o risco de manchar sua tradição secular.

Pois bem, após o período de maturação, ao provar o Cartuxa Reserva 96 o presidente declarou: “Erramos!” e enófilos de todo o mundo correram às prateleiras para comprar o Pêra Manca 96 por um terço do preço.

Felizmente eu fui um dos felizardos a degustar esse notável vinho por um preço bem menor...

Olho vivo !

Recado dado? Fique de olho nos grandes nomes, na qualidade das safras e não perca as oportunidades de adquirir segundos de qualidade, sua adega e seu bolso agradecem...

Os vinhos citados são trazidos pela Mistral, com exceção do Sassicaia/Guidalberto e o Guadaltasso/Il Bucciato, da Expand , o Barca Velha/Casa Ferreirinha da Zahil e o Pêra Manca/Cartuxa Reserva que tem diversos fornecedores.

© 1997-2017 Academia do Vinho - Aprecie o vinho com moderação
Nenhuma reprodução, publicação ou impressão de textos ou imagens deste site está autorizada