Academia do Vinho

Academia do Vinho - 20 anos - O mais importante site sobre vinhos no Brasil

O bom vinho é criatura jovial, se bem usada (Otelo, II-3) - SHAKESPEARE, William (1564-1586)

Voltar

As Profecias de Robert Parker em 2014 (comentadas)
14-fevereiro-14  Opinião

O mais influente crítico de vinhos costuma publicar algumas previsões para o mundo do vinho, veja o que ele antecipou em 2014 para os próximos anos

CARLOS ARRUDA

Arquiteto, web designer, enófilo, professor, consultor e autor de artigos sobre vinhos, criador e diretor do site Academia do Vinho.

Facebook

Robert Parker publica algumas previsões para o mundo do vinho, eu as chamo de Profecias, pois esse é o caráter dessas opiniões.


Robert Parker, critico americano de vinhos

De suas previsões em 2006, algumas que se mostraram verdadeiras foram:

- A influência crescente da Internet sobre o mercado, seja em opinião e em comércio.

- A aproximação entre produtores e consumidores, eliminando intermediários (notadamente pela Internet)

- A Espanha se tornando uma potência no mercado de vinhos, com qualidade e preço.

Pois bem, nesse início de 2014, após desejar a todos uma ótima safra, ele disparou suas previsões para os próximos anos, aqui estão 15 tópicos publicados por ele no Twitter.

Podemos perceber um aumento de foco nos fatos do mercado americano, aliado a tópicos mais genéricos sobre o mercado europeu. Afinal, ele é americano, certo?

Apresento aqui a lista dos tópicos por ele abordados, com meus comentários e explicações que julgo pertinentes para situar as opiniões na visão dos consumidores brasileiros.

1 – Maior resistência para os vinhos caros nas safras medíocres (pensemos na Europa com sua reedição da fraca trilogia 2011-2012-2013).

Explico essa tendência: Grandes nomes do vinho, como os Châteaux de Bordeaux e os Domaines da Borgonha, serão menos procurados comercialmente nas safras menos qualificadas, isso deve fazer os preços caírem nesse anos. Hoje, a tendência é: subir muito nas grandes safras (exemplo de Bordeaux em 2009 e 2010) e manter o preço (alto) nas demais. Parker acha que isso vai mudar. Tomara, pois pagar caro pela fama e não pelo vinho só pode ser coisa de milionário que não entende de vinho.

2 – A Califórnia se beneficiará de suas gloriosas safras 2012 e 2013.

Puxando para os vinhos do seu país, Parker sinaliza para as ótimas ultimas duas safras da Califórnia, que seguramente impulsionarão as vendas, principalmente internas, em detrimento de vinhos de fora.

3 – Os vinhos indefinidos com termos como ´natural´ ou ´autêntico´ serão desmascarados como fraudes, a maioria dos vinhos sérios não têm aditivos.

O apelo dos procedimentos naturais já foi bastante usado, Parker acha que há muitos produtores alegando mais do que fazem, e essa ilusão vai ser revelada. No mundo do vinho em geral, muitos e muitos vinicultores vêm optando por uma agricultura sustentável para poder produzir vinhos que reflitam mais seu terroir, mas sem usar isso (o natural) como bandeira comercial.

4 – A Argentina continuará a crescer com seus Malbecs e os brancos crocantes de Torrontés.

Notável destaque, parcialmente explicável porque os americanos são entusiastas dos Malbec argentinos, principalmente pelas notas adocicadas de fruta típicas do terroir desértico de altitude. Já a nota sobre os Torrontés é seguramente uma grande canja...

5 – Espanha, sul da Itália e França dominarão o segmento dos vinhos de qualidade até 20 dólares.

Uma situação já existente de fato, que tem tudo para crescer e se consolidar. Com o ingresso de publico mais jovem para o consumo de vinho, a boa relação qualidade-preço é muito procurada e essas regiões citadas vêm se destacando nesse quesito.

6 – Os amantes da Pinot Noir ficarão malucos com os Oregon 2012 e os Califórnia 2012 e 2013.

Mais carinho com os vinhos americanos, mas nesse caso trata-se de um segmento duplamente especial: os Pinot Noir da Costa Oeste estão realmente muito bons e os consumidores americanos apreciam muito esses tintos leves. Desde o filme Sideways.

7 – O vinho continuará a se tornar menos elitista e os populistas dominarão sobre os esnobes insuportáveis.

Na prática, isso já vem acontecendo ao longo dos últimos 5-6 anos. As opiniões dos “conhecedores” de alto nível e o elitismo a elas ligado vêm dando lugar a um grande número de blogs e grupos de consumidores. Cada vez mais, todo mundo fala de vinho. É um pequeno (?) caos, mas é mais democrático. Onde será que o próprio Parker se encaixa?

8 – A apuração de fraudes chegará aos santuários de várias casas de leilões que se mostram cegas para os sinais de perigo.

Tema paralelo aos grandes ícones do vinho, ultimamente vêm aparecendo denúncias de falsificações de vinhos de prestígio, em safras antigas míticas, que, por valerem muito, atraem os bandidos de plantão. Comentários circularam sobre a responsabilidade das também famosas casas de leilões, então esse é um tabuleiro incendiário.

9 - O sistema Coravin de conservação de vinhos mudará profundamente a forma como bebemos joias raras ou de produção limitada.

Coravin é um equipamento que permite extrair uma pequena quantidade de vinho (uma taça) de uma garrafa sem abri-la. O aparelho injeta gás argônio enquanto extrai o vinho por uma agulha, então tecnicamente a garrafa continua fechada e pode ser guardada por mais tempo. Detalhe importante: Parker é o promotor desse dispositivo...

10 – O governo finalmente exigirá que todos os rótulos de vinho informem calorias e ingredientes.

Muito passível de ocorrer no mercado americano, esse tratamento do vinho como um alimento como qualquer outro é benéfico do ponto de vista da saúde. Nem todos os países exigem a informação sobre conservantes, por exemplo, que praticamente todos os vinhos utilizam.

11 – Os blogueiros de vinho continuarão a reclamar de sua impossibilidade de monetizar seus sites e de ganhar respeito.

Sim, a Internet é uma plataforma sensacional para propagar comentários sobre vinhos (ou qualquer outra coisa), o que se relaciona ao item 7 acima, mas os navegantes dessa mesma Internet têm o (péssimo) hábito de querer e preferir tudo de graça, então é impossívelcobrar pela informação. Por outro lado, a ideia imediata de usar os sites e blogs como vitrine para publicidade continua não se mostrando viável, então não dá para viver de blog. Além disso, com centenas e centenas de blogs no ar, fica realmente difícil ganhar notoriedade.

A meu ver, esse tipo de publicação vai atender a grupos e nichos de consumidores, ninguém vai ser “a voz”.

12 - As vinícolas do Leste e meio-Atlântico (USA) conquistarão apoio dos consumidores baseados na força das safras 2012 e 2013 e na busca de ´novas experiências´ pelos consumidores.

Mais sobre o mercado americano, essa previsão me pareceu mais um desejo que uma tendência, mas não se pode negar que a busca do inusitado é um traço de comportamento dos consumidores que já ultrapassaram as barreiras iniciais do vinho e também já abandonaram a repetição de um pequeno número de rótulos de seu agrado.

13 – Mais bistrôs e trattorias de alta qualidade com a filosofia ´traga seu vinho´ explodirão no mercado como resposta aos altos preços e margens dos outros restaurantes.

Nesse caso, essa tendência é intimamente ligada aos hábitos de frequentar restaurantes, de cada país. Nos EUA, essa novidade nos bistrôs e pequenos restaurantes premia a iniciativa (e a preferência) dos consumidores. O restaurante não investe e não se envolve com o vinho e deixa livres os clientes para beber de forma democrática e econômica. É uma mudança de mercado que vai tirar muitas vendas dos importadores mais focados nesse mercado e aumentará do outro lado, vinotecas e supermercados.

14 – Aguardem mais trailers oferecendo comidas coreanas, mexicanas, sul-americanas e asiáticas.

OK, levem suas garrafas para os trailers...

15 – Observem os espumantes Prosecco e Cava corroer parte dos lucros e do glamour do Champagne.

Outro fato que já acontece no mundo, mas nos EUA o Champagne ainda é muito forte, por exemplo, no mercado de taças em restaurantes. Essa tendência é mais uma manifestação do movimento de “busca de novidades” e da queda do endeusamento de grandes ícones.

Aqui transcrevo as opiniões de Mr.Parker, no texto original publicado em seu Twitter:

1. More resistance to very expensive wines from mediocre vintages-think Europe 2011,2012,and 2013

2. California profits from two glorious years of quality and quantity-2012 and 2013

3. The undefined scam called “natural” or “authentic” wines will be exposed as a fraud-(most serious wines have no additives)

4. Argentina will continue to excel for malbecs and their crispy whites from Torrontes

5. Spain, southern Italy and France will dominate for high quality wines under $20

6. Pinot noir lovers will go bonkers over Oregon 2012s and California 2012s and 2013s

7. Wine will continue to become less elitist and populists will rule the day over insufferable snobs

8. Wine Fraud will reach into the sanctus santorum of several auctionhouses which will be found to have turned a blind eye to red flags

9. The Coravin wine preservation system will profoundly change the way we drink rare and limited production gems

10. The government will finally require all wine labels to reveal caloric and ingredients

11. Wine bloggers will continue to complain about their failure to monetize their sites and earn respect:)

12. Eastern & mid-Atlantic wineries will pick up consumers support based on the strength of 2012 & 2012, &c onsumers seeking new “experiences“

13. More BYO high quality bistros & trattorias will burst on the scene in response to over-priced,excessive mark-ups at other restaurants

14. Expect more mobile food trucks-featuring Korean,Mexican, South American, and Asian fusion offerings

15. Look for Prosecco and Cava sparkling wine sales to erode some of the profit and glamour from Champagne

© 1997-2017 Academia do Vinho - Aprecie o vinho com moderação
Nenhuma reprodução, publicação ou impressão de textos ou imagens deste site está autorizada