Academia do Vinho

Academia do Vinho - 20 anos - O mais importante site sobre vinhos no Brasil

Fazer vinho é relativamente fácil. Difícil são só os primeiros 200 anos - Barão de Rotshild

Voltar

França França - Champagne

Localização

Champagne é região da França.

Sub-Regiões

A região vinícola de Champagne possui as seguintes sub-regiões:

Côte des Blancs  (AOC)

Côteaux du Sézannais  (AOC)

Champagne  (aoc)

Les vignobles de l'Aube  (AOC)

Montagne de Reims  (AOC)

Vallée de la Marne  (AOC)

 

Mapa vinícola de Champagne

Mapa vinícola de Champagne

A Região

Das regiões vinícolas francesas, Champagne é a mais setentrional (ao norte) e está situada a nordeste de Paris, em torno das cidades de Reims e Epernay, no vale do rio Marne. É a mais famosa das regiões vinícolas francesas graças a seus vinhos espumantes sempre associados às comemorações, às relações amorosas e, sobretudo ao prazer.

Por sua localização no extremo norte, Champagne apresenta um clima bastante frio que dificulta o crescimento das videiras e torna bastante inconstante a qualidade de ano para ano. Isso explica porque os Champagnes são tradicionalmente elaborados por assemblage (corte) de vinhos de diferentes vinhedos e de diferentes safras, não apresentando uma safra no rótulo, em sua maioria.


Características Geo-climáticas

O solo da região é extremamente calcário, quase giz puro, fornecendo a drenagem e umidade ideais, mas é pobre e exige constantes fertilizações.

Tipos de Champagne

Os Champagnes apresentam vários aspectos diferenciados, que vão desde a qualidade e a procedência das uvas utilizadas até ao estilo de vinificação empregado na sua elaboração. Como resultado podemos identificar muitos tipos e/ou estilos de Champagne:

Quanto ao tipo de uva utilizada

Blanc de blancs - feito a partir de um vinho base branco de uvas brancas;

Blanc de noirs - feito a partir de um vinho base branco de uvas tintas;

Rosé - feito a partir de assemblage (mistura) de vinhos bases blanc de blancs e blanc de noirs.

Quanto à procedência das uvas

A qualidade é indicada pela palavra Cru, que designa um vinhedo específico de uma comuna e só aparece nos rótulos dos Champagnes de qualidade e que tiverem, um mínimo das uvas de um único vinhedo. Existem os seguintes Crus:

Deuxième Cru - feitos com 80 a 89% de uvas de um único vinhedo.

Premier Cru - elaborados com 90 a 99% de uvas de um único vinhedo de 41 comunas.

Grand Cru - produzidos com 100% de uvas de um único vinhedo, estão no topo da qualidade. Só recebem esta designação vinhedos de 17 comunas.

Quanto à safra

Não safrado – é o caso da maioria dos Champagnes que não têm safra (millésime) declarada, pois são feitos por assemblage de vinhos de vários anos, prática que permite manter o nível de qualidade , pois há anos em que a safra não é boa.

Millésimé - Champagne safrado, produzido só com uvas da safra do ano declarado no rótulo. Como isto só acontece nos anos de grandes safras, estes são os melhores Champagnes.

Quanto ao teor de açúcar

Quando se deseja um Champagne com teor de açúcar superior ao natural, adiciona-se ao espumante já pronto o chamado licor de expedição, que é um xarope elaborado com vinho maduro e açúcar de mosto, geralmente um segredo de cada produtor. Dependendo da quantidade de licor adicionada, o Champagne terá maior ou menor concentração final de açúcar, e é classificado nos seguintes tipos:

Extra-Brut (Extra-Bruto) - não recebe licor - açúcar = 0 a 6 g/litro (este tipo é também denominado Pas-dosé ou Sauvage ou Brut-Zéro ou Brut-Intégral ou Nature);

Brut (Bruto) - recebe 1% de licor - açúcar = 6 a 15 g/litro;

Extra-Sec (Extra-Seco) - recebe de 1 a 3% de licor - açúcar = 12 a 20 g/litro;

Sec (Seco) - recebe de 3 a 5% de licor - açúcar = 17 a 35 g/litro;

Demi-sec (Meio-Seco) - recebe de 4 a 8% de licor - açúcar = 33 a 50 g/litro;

Doux (Doce) - recebe de 8 a 15% de licor - açúcar = acima de 50 g/litro.

Quanto ao tempo envelhecimento

Antes de realizar o rémuage, as garrafas podem permanecer na cave envelhecendo por um período diretamente proporcional à qualidade do Champagne: um ano para os comuns, não safrados, e até sete anos ou mais para os especiais (millésimés, tête de cuvée, cuvée, etc.).

Quanto à data do dégorgement

Os Champagnes de alta qualidade e envelhecidos por longo tempo, como os millésimés, sofrem o dégorgement apenas poucos meses antes de serem comercializados e, por isso, recebem no rótulo as letras RD, isto é, Récemment Degorgé (Recentemente Degolado)

Dados de Produção de Champagne
Variedades Tintas:Pinot Noir, Pinot Meunier
Variedades Brancas:Chardonnay

© 1997-2017 Academia do Vinho - Aprecie o vinho com moderação
Nenhuma reprodução, publicação ou impressão de textos ou imagens deste site está autorizada